Sentidos

Quisera eu ter dons
Para ouvir todos os sons
Que moram no silêncio,
Apreciar cada um dos tons
Que a natureza esconde
E eu não vejo,
Não posso morrer sem sentir
As texturas que puder alcançar
Ou deixar de ser o alcance
Para os toques que recebo,
Quero poder decifrar
Todo sabor dos transes
Causados pelos beijos,
Talvez se eu me sentar
À beira-mar
As ondas me tragam
Aromas do acolá
Dos lugares em que não estou
Mas que agora me podem chegar.
Que sentido dar ao mundo
Se o mundo não faz sentido
E não deixa-nos saber
O sentido certo a seguir?
Se corações estão sentidos
Por liberdades e amores perdidos
O que resta-nos sentir?

.*.*.*.*.*.

[Escrito em 14/10/09, para o X Concurso Literário do UNIFIEO. Consegui 4º lugar.]

Anúncios