Que gosto tem Agosto?

Minha sombra sobre a grama, com tranças balançando

Agosto tem gosto de queijo sem lactose e das mil formas que pensei em prepará-lo. Tem gosto de desafio e novidade.

Tem a lentidão do banho-maria de dez dias no emprego novo – sem que eu sentisse qualquer coisa, boa ou ruim. Apenas o sabor do preparo lento de um item opcional.

Agosto tem sabor daquela sobremesa favorita (e desde quando é única?), aquela que mantenho na boca pelo maior tempo possível, porque fica melhor a cada segundo. Ou talvez seja a sensação de melhora, de conseguir me sentir bem realmente.

É suco puro, sem água e sem açúcar. Depois de apertar até sair a última gota de possibilidade, filtrei as informações e tomei apenas as vitaminas. Nada de sementinhas da discórdia, nenhuminha.

Agosto foi inteiramente coberto com calda de coragem, sem aditivos de expectativas ou ansiedade. O meu com camada extra de chocolate, por favor.

Anúncios